Escolha de pneu inadequado causa danos ao equipamento e pode diminuir sua eficiência

Os pneus são itens imprescindíveis para o bom funcionamento das máquinas. Eles são produzidos para fornecer tração, suportar o peso do veículo e funcionar como um amortecimento sempre que preciso. 
 
Porém, são peças que merecem total atenção no ato da compra. Para fazer a escolha correta do pneu, como por exemplo para uma empilhadeira, é importante entender e saber os tipos de pneus que existem no mercado e suas características, e ficar atento aos possíveis riscos causados pela escolha errada dos pneus e às necessidades de cada equipamento.
 
A compra de um modelo errado pode interferir diretamente na eficiência do equipamento e até mesmo impactar a funcionalidade da máquina.
 
Sendo assim, nem sempre os mais baratos ou com mais borracha são as melhores alternativas.  Para não ter problemas, o mais indicado é saber o tipo de aplicação e o terreno que o pneu vai operar, uma vez que eles possuem diversas instruções como, índice de carga, velocidade, nível de proteção e entre outros. 
 
É muito comum algumas pessoas escolherem pneus com grandes índices de proteção acreditando ser a melhor opção, porém por muitas vezes esse incremento é desnecessário e pode até trazer prejuízos a produtividade. 
 
Os pneus com mais proteção, ou seja, com mais borracha, são recomendados apenas para movimentação de grandes cargas e locais com maiores riscos de corte ou perfuração como operação no pé da rocha.  
 
 
Detalhes dos pneus 
 
Você sabia que as informações sobre os produtos podem ser encontradas nos flancos dos pneus? 
 
Os números encontrados nos flancos indicam as medidas da largura nominal da seção, diâmetro interno e sua série ou perfil que podem estar especificados em milímetros e em polegadas.
 
Outras informações que podem ser encontradas são: nome do fabricante, modelo de acordo com o desenho da banda de rodagem do fabricante, matrícula, pressão de inflação a frio e carga. 

 Outro problema ao comprar um produto errado, é a questão do peso do equipamento e da carga sendo movimentada para definir a calibragem dos produtos, que podem interferir na estabilidade das máquinas, por isso tudo deve estar ajustada de acordo com o modelo e fabricante do pneu. 

  Dica: Jamais montar dois tipos de pneus (radial ou diagonal) em um mesmo eixo ou colocar uma banda de rodagem com altura de ‘garra’, com diferenças acima de 6% de desgaste entre elas, para não prejudicar os comandos finais do equipamento. 
 
 A recomendação é que todos os pneus sejam iguais (dimensão, marca, modelo). Assim como em carros convencionais, é indicado realizar rodízios periódicos para garantir um desgaste uniforme entre todos.

 
Radial X Diagonal

Existem diversos tipos de pneus conhecidos no mercado, entre eles, os mais comuns: radiais e diagonais. 
 
Os diagonais, têm diversas camadas de lonas têxteis cruzadas em sentido diagonal, tornando a lona carcaça uma peça monobloca.
 
A carcaça radial, é feita com uma única lona de cabos de aço no sentido radial e depois recebe camadas de lonas de proteção e trabalho somente na área da banda de rodagem. 
 
Os radiais possuem o dobro da vida útil dos convencionais. Inclusive, por sua carcaça ser radial, em uma situação de acidente, as posições dos cabos de aço favorecem danos menores facilitando o seu conserto com manchões menores. 
 
Mas, para prolongar a vida útil de ambos, é imprescindível manter a calibragem adequada ao peso e a carga.  

Conheça a linha de pneus oferecidos pela Brasif. Nossa equipe comercial poderá suportá-los a escolher a melhor opção para a sua operação.